O que é Inteligência Coletiva

Durante muito tempo interpretei o termo Inteligência Coletiva de acordo com o significado que subentendia das próprias palavras. Isso me condicionou, claro, a comparar Inteligência Coletiva com colméias, formigueiros e a todos os grupos que juntos conseguiam desenvolver um sistema inteligente. Doce engano. Ao ler o livro Inteligência Coletiva do Pierre Lévy percebi que minhas analogias, eram, no mínimo, superficiais.

Adotei a estratégia de identificar os pensadores que promoviam o tema e a estudar a origem e suas derivações para ampliar minha visão sobre o assunto. Não foi difícil de identificar que Pierre Lévy tinha muito conteúdo sobre o tema, e outros pensadores como Marvin Minsky, Steven Johnson, Howard Rheingold e Robert Putnam compunham o universo corelacionado a Inteligência Coletiva.

Definição de Inteligência Coletiva

Usarei a definição descrita no livro Inteligência Coletiva do Pierre Lévy:

“É uma inteligência distribuída por toda parte, incessantemente valorizada, coordenada em tempo real, que resulta em uma mobilização efetiva das competências”.

Um forma de entender melhor essa definição é separar as afirmações e analisarmos por partes, assim como o próprio autor faz no livro.

“Uma inteligência distribuída por toda parte”
O saber não é reservado a poucos “privilegiados”, o saber está na humanidade. Essa afirmação valoriza todos os seres humanos, onde cada um de nós acrescenta algo referente ao nosso contexto de vida, independente da escolaridade, raça e classe social.

“Uma inteligência incessantemente valorizada”
Valorizada e distribuída. Hoje desprezamos a inteligência do savoir-faire (pessoa que tem savoir-faire é aquela que sempre tem uma resposta para tudo, sabe como agir, sempre se sai bem numa situação, tem apurado conhecimento de algo, Pierre Lévy usa muito essa expressão) através de boletins escolares, grades de qualificação nas empresas, existe uma busca pela padronização e pela redução do custo resultando em uma desvalorização da inteligência.

“A coordenação das inteligências em tempo real”
Neste ponto entram as novas tecnologias como internet, blogs e wikis que podem promover através das interações, um suporte para decisões, ações e acontecimentos e com isso permitir uma continua transformação do universo do conhecimento.

“Atingir uma mobilização efetiva das competências”
Antes de mobilizar as competências é necessário identificá-las. Como o saber está distribuído em todos nós, precisamos usar novas formas de identificar as competências de cada um, não com o propósito do lucro ou com visões empresariais, mas identificar suas inteligências e valorizá-las. Na era do conhecimento, deixar de reconhecer o outro em sua inteligência é recusar-lhe sua verdadeira indentidade social, é alimentar o ressentimento e a hostilidade.

O que não é Inteligência Coletiva

Durante muito tempo relacionei a Inteligência Coletiva com um formigueiro, já que me parecia óbvio que aquele sistema produzia algo de inteligente em conjunto. Conforme a definição proposta por Pierre Lévy, o formigueiro não se assemelha com o conceito de Inteligência Coletiva porque:

  • A Inteligência Coletiva é uma inteligência distribuída por parte e no caso do formigueiro cada formiga não tem noção de sua participação no conjunto e não sabem como o que eles fazem se compõe com os atos dos outros indivíduos;
  • O formigueiro possui uma estrutura fixa, as formigas dividem-se em castas imutáveis e são intercambiáveis dentro de cada casta. Na Inteligência Coletiva nada é fixo, os indíviduos são singulares, nômades e longe de serem permanentes a suas castas, suas habilidades são desenvolvidas em um ambiente plural e mutante;
  • A inteligência do todo não resulta mecanicamente de atos cegos e automáticos, pois é o pensamento das pessoas que pereniza, inventa e põe em movimento o pensamento da sociedade.

A Inteligência Coletiva na construção do Social Commerce

O conceito de Inteligência Coletiva nos remete a construção de uma sociedade onde cada indiv?duo interage e compreende sua participa??o no conjunto. Com a chegada da internet, as sociedades menores, os nichos, foram potencializados, permitindo que fosse facilmente coordenado em tempo real com o uso da tecnologia.

O mercado, como sempre, identificou rapidamente o potencial dessas pequenas sociedades do ponto de vista comercial, principalmente com a populariza??o do conceito de cauda longa, onde a soma de todos os interesses incomuns, dos nichos, compunham o mesmo tamanho dos interesses comuns.

Num primeiro momento, o interesse comercial, ajudou a alavancar o crescimento dos nichos, seja por patroc?nio de grandes marcas a blogueiros especializados ou a ajuda dos buscadores em aproximar os interessados ao redor do tema.

Esse ambiente prop?cio, somado a populariza??o das redes socias, proporcionou uma maior valoriza??o (incessante) das intelig?ncias, uma vez que, se cada indiv?duo investisse seu tempo no cultivo de um conte?do online baseado no seu savoir-faire?esse trabalho em m?dio longo prazo teria um valor comercial e social para os envolvidos no tema.

O resultado da soma de milh?es de pessoas online e suas contribui??es atr?ves de coment?rios, reviews e experi?ncias no uso de produtos e servi?os permitiu a cria??o de uma fonte inesgot?vel de informa??o para ajudar na tomada de decis?o nas compras online e offline das pessoas.

O Social Commerce n?o visa apenas o lucro. N?o existe uma explora??o das compet?ncias com o ?nico objetivo para o capital, mas sim um movimento conjunto entre o lucro, ?bvio, e o sentimento de realmente ajudar as pessoas a identificar produtos e servi?os contextualizados com seus perfis, tudo isso sob a ?tica das rela??es entre seus pr?ximos, onde se consegue uma vis?o holistica sobre as necessidades, uma vis?o muito mais ampla que uma indica??o baseada em l?gica computacional.

8 thoughts on “O que é Inteligência Coletiva”

  1. Gostaria de saber como referenciar esse artigo (o texto sobre inteligência coletiva) ?

    Aguardo e agradeço, pois ficou muito bom.

    Ana

  2. Alexandre Lara

    Prezado Rodrigo, Obrigado por suas considerações a cerca do livro de Pierre Lévy. Eu tamb?m tinha essa concepção de Inteligência Coletiva ambientada em colônias de produção. Consegui perceber a amplitude que podemos alcançar em um grupo palo qual estou trabalhando.
    Grande abraço,
    Alexandre Lara – Contador / Gerencia de Controladoria

  3. Uma ?tima apresenta??o. Creio que se trata de assunto para muita palestra e estudo. Serve de tema para aplica??o em atividades relacionadas ao pr?prio assunto. Antes do advento da tecnologia de internet com as redes sociais, essa intera??o s? era poss?vel com a presen?a dos participantes.Faz lembrar dos falados t.trabalhos em grupo, o brain storming (temporal de id?ias) e outras situa??es similares.
    Sem duvida a modernidade potencializou o uso da inteligencia coletiva no dia a dia, sem exigir deslocamentos dispendiosos, nem mesmo o abandono dos afazeres habituais. N?o ha necessidade sequer de pr?vio conhecimento dos fundamentos te?ricos de parte dos participantes. Basta boa vontade de compartilhar suas id?ias e opini?es, bem como aceitar dos outros o mesmo.
    Bendita tecnologia. Oxal? todos aprendam a fazer uso adequado desses recursos. Ha apenas a lamentar a atitude de alguns internautas ao adotar comportamento de menosprezo com as id?ias e opini?es alheias, n?o raro criando polemicas, ofendendo a pessoas com as quais nunca tiveram contato pessoal. O mesmo comportamento que adotamos quando estamos em presen?a do outro, devemos seguir nas redes sociais. Assim perdemos grandes oportunidades de aprender com a experiencia dos outros. Costumo ter sempre presente uma m?xima: “Ningu?m e tao s?bio que nada possa aprender, nem tao ignorante que n?o possa ensinar algo a outrem”.

    1. Acredito que sim. Por?m se filosofarmos um pouco sobre isso, podemos encontrar algumas coisas que n?o se encaixam em intelig?ncia coletiva, como o fato de eu ser o moderador dos coment?rios e intelig?ncia coletiva n?o existe uma lideran?a ela ? pulsante em todas as partes. Se prolongarmos essa conversa poderemos encontrar mais com certeza.

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *